Mirtilo e a visão

Estudos recentes provam que as bagas de mirtilo podem melhorar vários problemas de visão, incluindo miopia e degeneração da mácula.

Os mirtilos (Vaccinium myrtillus L.), também conhecidos entre nós por arandos, erva-escovinha ou uva-do-monte, são um arbusto mais popular no Norte da Europa do que no Sul.

Crescem também de forma espontânea na América do Norte e Canadá. Gostam de solos siliciosos e ácidos, bosques, montanhas e os ambientes húmidos das florestas da Europa do Norte, onde se desenvolvem algumas espécies autóctones como o (Vaccinium uliginosum.L), que se encontra apenas na Escócia e na Escandinávia, onde é conhecido por northern bilberry.

A variedade V.angustifolium L. desenvolve-se na costa leste do Canadá e Estados Unidos e os seus frutos são geralmente maiores que as outras variedades. No nosso país, infelizmente, está bastante subestimado mas podemos no entanto encontrá-lo nos pinhais, matos e montanhas do Alto Minho, Marão e Serra da Estrela.

O mirtilo é um arbusto de folha caduca com caules erectos multitirramificados, folhas ovais, pontiagudas, flores pequenas, brancas ou cor–de-rosa e bagas redondas que se tornam preto azulado quando amadurecem. Pertence à família das ericáceas e pode atingir cerca de 4 metros de altura.

Utilidades e componentes

Na fitoterapia utilizam-se as folhas e as bagas, que se colhem no fim do Verão. Os frutos são muito ricos em taninos, ácidos orgânicos, glucósidos, pectinas, carotenos, flavonóides, antócianinas, vitaminas B e C, provitamina A e ácidos vegetais e sais minerais (ferro, manganésio, crómio).

Devido aos pigmentos antociânicos, que são anti-oxidantes e que existem nos frutos, exercendo no organismo uma acção anti-inflamatória e anti-hemorrágica aumentando a resistência capilar e diminuindo a sua permiabilidade, ajudam a regenerar o pigmento roxo dos olhos necessários para a visão nocturna, tendo sido muito utilizado pelos pilotos ingleses durante a segunda guerra mundial.

Estudos recentes provam que as bagas de mirtilo podem melhorar vários problemas de visão, incluindo miopia e degeneração da mácula devido à idade ou a diabetes. Combate ainda insuficiências venosas como varizes e hemorróidas, diarreia (fruto seco).

O fruto fresco é ligeiramente laxante e indicado para inflamações orofaríngicas, inflamações urinárias, antifúngico, anti-inflamatório.
As folhas podem ser úteis em estados pré-diabéticos e infecções urinárias, diarreias, cistites e vaginites.

O extrato de mirtilo faz parte da composição de muitos medicamentos especialmente para tratar problemas de visão.
Externamente, pode utilizar-se em queimaduras, inflamação da mucosa oral, dos olhos e úlceras dérmicas.

Precauções

Os mirtilos têm no entanto algumas contra indicações. Devido ao alto teor em taninos não devem ser consumidos durante mais de 3 meses, nem folhas nem frutos, podendo causar irritação do estômago e intestinos, sobretudo se existirem problemas de gastrites ou úlceras.

No jardim

Gosta de solos não calcários, meia-sombra, propagam-se por semente no Outono ou por estaca no fim do Verão e poda-se na Primavera para garantir um bom crescimento foliar. As folhas colhem-se na Primavera e devem ser secas à sombra em local seco e bem ventilado, enquanto os frutos se colhem no Verão e devem secar ao sol.

Alivision - O suplemento indicado para evitar a perda de visão