Termos e Condições

Termos e Condições aplica-se a todos os visitantes e utilizadores da Loja On-line. Ao aceder e utilizar a Loja Online, aceita estes Termos e Condições na sua integralidade, assim como quaisquer outras leis ou regulamentações que se apliquem à Internet e/ou à World Wide Web. 

A informação contida nesta Loja Online é propriedade da FRUTO DA TERRA. 

Todas as marcas comerciais, utilizadas a Loja Online são apenas para demonstração de produtos comercializados pela FRUTO DA TERRA pelo que, o utilizador não pode utilizar, copiar, reproduzir, republicar, carregar, editar, transmitir, distribuir nem modificar de qualquer forma que seja, marcas comerciais apresentadas. 

O utilizador não poderá utilizar qualquer software ou aplicação que interfira com o normal funcionamento do mesmo. Não poderá utilizar qualquer aplicação, mecanismo automático ou processo manual para monitorizar ou copiar as suas páginas, sem o prévio consentimento e autorização da FRUTO DA TERRA. 

O utilizador poderá utilizar nomes de utilizadores e palavras-passe, para aceder a determinados conteúdos de acesso restrito. Os conteúdos das áreas restritas são confidenciais à FRUTO DA TERRA, não podendo o utilizador usufruir dos mesmos com fins lucrativos ou de negócio. 

Os conteúdos apresentados neste site poderão eventualmente apresentar algum equívoco ou desactualização. A FRUTO DA TERRA poderá efectuar, sem pré-aviso modificações ou correcções à informação publicada. 

A FRUTO DA TERRA tem como compromisso assegurar um serviço de qualidade a todos os clientes e visitantes da Loja Online, bem como aspectos que se relacionem com a sua privacidade. 

Devoluções
De acordo com Decreto-Lei n.º 143/2001, Artigos 6.º e 8.º, as devoluções poderão ser efetuadas de acordo com as seguintes cláusulas: 
 

Artigo 6 - Direito de Livre Resolução
1 - Nos contratos à distância o consumidor dispõe de um prazo mínimo de 14 dias para resolver o contrato sem pagamento de indemnização e sem necessidade de indicar o motivo. 


2 - Para o exercício desse direito, o prazo conta-se:
a) No que se refere ao fornecimento de bens, a partir do dia da sua recepção pelo consumidor sempre que tenham sido cumpridas as obrigações referidas no artigo 5.º; 
b) No que se refere à prestação de serviços, a partir do dia da celebração do contrato ou a partir do dia em que tenham sido cumpridas as obrigações referidas no artigo 5.º se tal suceder após aquela celebração, desde que não se exceda o prazo de três meses referido no número seguinte;
c) Se o fornecedor não tiver cumprido as obrigações referidas no artigo 5.º, o prazo referido no n.º 1 é de três meses a contar da data da recepção dos bens pelo consumidor ou, tratando-se de serviços, da data da celebração do contrato; 
d) Caso o fornecedor venha a cumprir as obrigações referidas no artigo 5.º no decurso do prazo de resolução referido no número anterior e antes de o consumidor ter exercido esse direito, este dispõe de 14 dias para resolver o contrato a partir da data de recepção dessas informações.
 

3 - Se o fornecedor não tiver cumprido as obrigações referidas no artigo 5.º o prazo referido no n.º 1 é de três meses a contar da data da recepção dos bens pelo consumidor ou, tratando-se de serviços, da data da celebração do contrato.
 

4 - Caso o fornecedor venha a cumprir as obrigações referidas no artigo 5.º, no decurso do prazo de resolução referido no número anterior e antes de o consumidor ter exercido esse direito, este dispõe de 14 dias para resolver o contrato a partir do recebimento dessas informações.
 

5 - Sem prejuízo do estabelecido na alínea a) do n.º 3 do artigo anterior, considera-se exercido o direito de resolução pelo consumidor através da expedição, nos prazos aqui previstos, de carta registada com aviso de recepção comunicando ao outro contraente ou à pessoa para tal designada a vontade de resolver o contrato. 


Artigo 8 - Efeitos da Resolução
 

1 - Quando o direito de livre resolução tiver sido exercido pelo consumidor, nos termos do artigo 6.º, o fornecedor fica obrigado a reembolsar no prazo máximo de 30 dias os montantes pagos pelo consumidor, sem quaisquer despesas para este, salvo eventuais despesas diretamente decorrentes da devolução do bem quando não reclamadas pelo consumidor. 
 

2 - Em caso de resolução, o consumidor deve conservar os bens de modo a poder restituí-los, ao fornecedor ou à pessoa para tal designada no contrato, em devidas condições de utilização, no prazo de 30 dias a contar da data da sua receção. 
 

3 - Sempre que o preço do bem ou serviço for total ou parcialmente coberto por um crédito concedido pelo fornecedor ou por um terceiro com base num acordo celebrado entre este e o fornecedor, o contrato de crédito é automática e simultaneamente tido por resolvido, sem direito a indeminização, se o consumidor exercer seu direito de livre resolução em conformidade com o disposto no artigo 6.º, n.º 1 

Segurança 
Para garantir a segurança dos seu dados e a máxima confidencialidade, tratamos a informação que nos forneceu de forma absolutamente confidencial, de acordo com as nossas políticas e procedimentos internos de segurança e confidencialidade. Utilizaremos SSL em todas as páginas onde lhe for solicitada informação pessoal, o que significa que a sua informação será enviada através da Internet de forma encriptada.